quinta-feira, 20 de abril de 2017

Recíproco

   Sabe quando você acorda e pensa: nossa, eu estou fazendo tudo errado, espera, deixa eu tentar arrumar isso aqui?
   Então, há algum tempo atrás eu percebi que andava fazendo algumas coisas erradas, quer dizer, não tão erradas assim, mas, coisas que estavam prejudicando a minha vida na base de relacionamentos, com isso, decidi mudar, ser uma pessoa mais educada, paciente e amorosa, sabe, dessas pessoas que facilmente quem é de peixes se apaixonaria? Então, cada dia que passa, cada dia que eu expresso mais o meu amor: digo "eu te amo", ou coisa do tipo, me faz sentir que: quando eu era uma pessoa fria eu estava no caminho certo, porém, não tão certo assim, mas, para não se machucar, eu estava no caminho certo. É tão ruim quando a gente decide mudar, ser tudo aquilo que as pessoas querem que nós sejamos, e a partir desse momento de mudanças nós começamos a nos sentir reprimidos, isso é tão ruim, e machuca um pouco.
    Mas, acho que mesmo com essa "repressão" ou com essa percepção de falta de reciprocidade eu vou continuar nessa line de ser romântico e carinhoso, talvez eu ainda esteja no caminho certo, se esse caminho não der certo, eu voltarei para o outro, onde eu me sentia mais confortável.

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Nota do autor: Arrependimento.

  Não sei explicar para você que está lendo isso agora como eu realmente estou me sentindo.
  Mas eu sei que você poderá me entender se eu usar uma palavra: arrependimento.
  Sabe quando as coisas na sua vida acontecem e ao invés de você tentar melhora-las você acaba ferrando mais ainda com elas? Então, é isso que me causa arrependimento.
  Não vou dizer aqui o que aconteceu e nem o que eu fiz de errado que veio a me causar tal sentimento, mas, eu gostaria de entender o por quê nós sempre fazemos algo errado em cima de outra coisa errada?
   Porquê o ser humano não consegue apenas falhar uma vez e pronto? Temos mesmo que falhar uma, duas, três e nunca entendermos, nunca aprendermos?
   Pode até ser que eu esteja falando isso, mas, só eu na verdade seja assim, só que não, eu sei que existe outras pessoas que fazem as mesmas coisas que eu.
   Tenho uma promessa para eu mesmo cumprir. Não errarei novamente os mesmos erros. Sei que o ser humano é passivo de erro, mas, erros novos, não os antigos.
   Então deixo aqui expresso, uma promessa, não errarei os erros antigos novamente.

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Nota do autor. Eu gosto de ficar sozinho.

 Eu sei que já disse aqui nesse blog no passado que eu não gosto muito de festas ou coisas do tipo e talvez esse seja um problema, ou talvez, isso não seja um problema, seja a solução para quem quer viver sozinho.
 A nota do autor diz aquilo que o autor sente sobre tal assunto e hoje eu gostaria de falar sobre relacionamento interpessoal.
 O relacionamento interpessoal é uma das nove inteligências do ser humano, não vou citar as outras oito, mas, está dentro delas também por exemplo: a inteligência de se auto entender e a inteligência de entender a natureza.
  Se eu disser aqui que não gosto ou não obtive a inteligência interpessoal, eu estarei mentindo, pelo devido fato que: sou ótimo com o tal do relacionamento entre pessoas, sei conversar, persuadir, conquistar, vender, elaborar, desculpar e dentre outras coisas que a fala e a comunicação pode nos oferecer, mas...
 Eu tenho preguiça de me relacionar ''interpessoalmente'', eu tenho preguiça de expor as minhas ideias faladas, e muitas das vezes eu não me vejo  na obrigação ou melhor eu não me vejo com vontade de me comunicar, vou dar um exemplo melhor.
 Me coloque em um ambiente totalmente vasto de vida humana. Eu disse: vida humana, aquela na qual se sobressaiu pelos termos da humanidade por ser a que melhor sabe se comunicar, criando complexidade de comunicação, entendendo-as e expondo-as, deixando assim bem claro, quero dizer que hoje somos o que somos pela comunicação, e não digo apenas um tipo de comunicação, não só a  comunicação falada, existe também outras mil formas de comunicar sem ter que encostar a língua nos dentes.
  Só que, é ai que tá. Mesmo sabendo dominar a comunicação, seja ela escrita ou falada ou as outras mil delas, eu não gosto de fazê-la, ou, eu evito faze-la, vou dar outro exemplo.
 Sabe quando você reúne seus amigos sábado à noite e tomam uma cerveja e jogam papo fora falando mal de outro grupo de ex amigos ou falam até mesmo de política, religião, futebol e moda? Então, eu me encaixo nesse grupo, porém, eu não gosto  de fazer parte desse grupo. Eu digo que me encaixo nesse grupo pelo fato que eu suportaria e conseguiria fazer isso por meses, mas eu digo que não gosto de fazer parte desse grupo e você irá entender pela continuidade desse post.
 - Mas, Marlon, se você não gosta de fazer parte desse grupo, porque você faz?
 - Eu não faço.
 - E eu gostaria de entender o raciocínio e o prazer de quem faz. Tudo bem  que: o ser humano lutou demais para conseguir fazer isso, viver em sociedade, juntas grandes grupos para conseguir se fortificar, alguns grupos se isolaram, ficaram ricos e casaram seus filhos com os filhos de outros grupos ricos para que suas riquezas não se esvaíssem de seus grupos, mas, isso é papo para outro dia, dentre termos de filosofia, sociologia e não cabe aqui.
 E é aqui que eu queria chegar.
 As pessoas, quando estão em casa, sozinhas, ou em qualquer tipo de ambiente, só que sozinhas, se sentem diferente de quando estão rodeadas por amigos ou por ''amigos'', elas se sentem só, deprimidas, ou ansiando por estar com os amigos.
 - Mas, Marlon, isso é normal.
 - Sim, isso é normal, mas, tem um porém.
 Hoje em dia, estar rodeado de amigos ou ''amigos'' ou, colegas ou conhecidos, é algo que envolve tal status, não digo o status social, aquele que envolve dinheiro, eu digo o status social na parte social mesmo, a palavra em si já explica, posso chamar isso de status de sociedade interpessoal.
 É quando a pessoa faz parte de um grupo apenas para não se parecer sozinha, ou, quando a pessoa faz parte de um grupo porque tem medo de ficar sozinha em casa, mas, quando está com o seu grupo social, continua se sentindo sozinha, seja pelos assuntos fúteis ou seja porque ela não se enquadra naquele âmbito social.
 - Marlon, péra, buguei.
 - Tá, vamos lá...
 Me colocando como exemplo novamente.
 Se eu estiver no meu quarto, sozinho, por um mês completo, o que eu sentirei é o prazer de estar sozinho. 
 Se eu estiver em um grupo social de amigos ou conhecidos, eu estarei ansiando por estar no meu quarto sozinho, entendeu onde quero chegar?
 - Tá, eu até entendi, mas, isso é um quadro sociopata ou psicopata ou até mesmo um quadro de depressão.
 - Negativo.
 Explicação:
 As pessoas vão para os seus ciclos sociais para satisfazerem a sua ideia de que elas precisam estar em algum tipo de ciclo social e não porque aquele ciclo social lhe proporciona dopamina o suficiente para ela gostar daquilo e querer estar ali novamente. Mesmo a pessoa sabendo que ela não quer aquilo, ela sente medo ou não quer ficar sozinha, o que leva-a novamente a aceitar novos convites para beber de sexta a noite ou comer uma pizza no sábado a tarde com a galera, mas, levando para o ponto de conclusão, essa pessoa, queria estar sozinha, mas, quando ela está sozinha novamente, ou ela sente solidão, ou ela sente o falso anseio por estar novamente, advinha onde? Isso mesmo; em sociedade.
 O que eu passo, o meu quadro, que não é clínico, nem biológico e sim: racional, é o quadro ao qual eu não me forço a criar novos laços e nem me forço a manter os laços já existentes, eu apenas vivo e respondo às perguntas que me fazem e não me obrigo a tentar entender o mundo alheio, e vivo assim sem precisar me esforçar para viver assim.
 - Lá está falando o recalcado que vive sozinho, dentro de seu quarto, tem um blog e está de mimimi na internet.
 - Caro leitor, o blog é pequeno, é antigo, mas, é pequeno, e embasando nisso, vou continuar mais um pouco abordando um termo cientifico.
 Uma vez li  num blog que, as pessoas que estão ''sozinhas'', nunca estão sozinhas, por exemplo, vamos lá: eu gosto de jogar, ler, assistir filmes e séries, estudar e trabalhar e correr.
 Se eu jogo, eu jogo um jogo produzido por pessoas, se o jogo é online, obviamente eu jogo com outras pessoas, se eu leio, leio claramente um livro produzido por outra pessoa, ou outras pessoas, se eu assisto filmes e séries, bom, ai está um universo infinito que quase ignoramos no final do filme, aquilo chamado de créditos, ali, ao menos, umas mil pessoas trabalharam para você assistir, bom, estudar e trabalhar eu não preciso nem dizer né? É um baita de um relacionamento interpessoal magnifico e correr, lhe fazer ver as pessoas na rua e entender como a mecânica básica estrutural da sua cidade funciona.
  Eu amo o mundo, eu amo ver as pessoas por ai, amo dirigir meu carro à noite, amo comer comidas feitas pelos outros, amo recusar ou aceitar algum produto que tentam me vender na rua, respondo à diversas perguntas do meu cotidiano, amo realmente observar cada detalhe de quase tudo que está a minha volta, mas, eu odeio o relacionamento interpessoal falso.
 É aqui que eu queria chegar.
 O mundo não é puro, como todos nós sabemos, o mundo é uma coisa suja, onde todos falam mal de todos e todos, a todo o momento, estão montados nas costas da maior parte de seus amigos, eu sinto um pouco de náusea quando percebo que estou em um lugar cheio de pessoas e vejo que o sorriso de algumas é completamente colado, falso e estampado com um medo enorme de cair do rosto, ou que, aquele amigo meu ali que namorava aquela menina lá está traindo-a depois de beber algumas, ou até mesmo as mentiras do fulano número um, se juntando com as mentiras do fulano número dois para poder se parecer legal, cool, ou aceitável. Eu tenho nojo de falsidades ou coisas do tipo então; já que eu não gosto do relacionamento interpessoal eu estou aqui, sozinho e feliz.

 Dá uma lida aqui que você vai entender melhor:
http://istoe.com.br/43886_EU+QUERO+FICAR+SOZINHO/
 Talvez até possa ser um transtorno de fobia social, chamado mesmo de: Transtorno de ansiedade social.
  Mas, eu garanto que esse não é o meu quadro.
  Temos que entender que as pessoas apenas gostam de ficar sozinhas.
  Algumas gostam, mas tem medo da solidão.
  Outras, se sentem obrigadas a viver em sociedade.
  Outras, bom, outras conseguem viver sozinhas, serem felizes e continuar vivendo.
  Esse sou eu.

 Continue seguindo o meu blog.
 Obrigado.
 Marlon.

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Um modo de dizer

Eu gostaria de dizer que te amo, mas, não consigo e não sei o porque, mas eu explico isso no meu olhar, é só você observar direitinho que você vai conseguir enxergar.
O sentimento é verdadeiro, até porquê eu sinto ele dentro de mim, e eu não estou falando de coração batendo mais forte ou pupila dilatada, eu estou falando de você, você é meu sentimento e é até mesmo a razão pela qual estou escrevendo agora, não é mesmo?
Claro que eu sinto saudade de você, você é importante e especial, como não sentir, todos os sábados eu fico furioso quando você demora a vir, e você sabe disso!
Eu amo o seu jeito de amar a vida e as pessoas.
De vez em quando você é idiota, e me irrita, mas, quem sou eu para falar sobre isso?
Você consegue ser três coisas, e quase ao mesmo tempo: menina, moça e mulher.
E isso me encanta.
Tudo em você me encanta.
Desculpa meu nervosismo, não sei porque sou assim.
Mas, se eu não fosse assim, não seria eu, marca registrada, confirmada e protocolada.
Já você, continue sorrindo, seu sorriso é lindo.
Seu olhar fica mais bonito com lápis, mas sem eles, eu me encanto do mesmo jeito.
Falando em jeito, o seu jeito de me amar é amável.
Com certeza você tem um lugar no céu, você é bacana, Deus vai gostar de você.
Já eu, vou ficar no purgatório, explicando pra eles o por quê já te deixei algumas vezes.
Mas, acho que eles vão me entender, afinal, você purificou meu coração, então, eu posso ir com você.
Sem essa história de remar junto, eu tô sabendo que você vai ficar deitada na proa me fazendo remar sozinho, você é mó folgada pô.
Eu tô brincando, assim como você brinca comigo e depois diz: "Aquelas". Que eu odeio por sinal.
Mas, é difícil odiar as suas coisas, porque um dia elas serão minhas também.
E sim, eu aceito o zoológico na nossa casa, mas, você que ajeita a bagunça.


terça-feira, 8 de novembro de 2016

A impactante mensagem de Keanu Reeves



Um texto que não é de minha autoria:


“Realmente não posso e não quero fazer parte de uma sociedade onde o homem veste a sua mulher de maneira vulgar, a fim de mostrá-la para os outros.

Onde não existem conceitos de honra e dignidade, e costumamos confiar em quem pronuncia um “eu te prometo”, que na maioria das vezes nem sequer se cumpre.

Uma sociedade em que as mulheres tomam a decisão de não ter filhos e os homens de não formar uma família.

Um mundo onde os perdedores acreditam que são bem-sucedidos, só porque dirigem o carro de seu pai, e que esse pai, só para ter um pouco de poder, tenta mostrar que você é inútil.


Todos os dias eu me pergunto o que acontece com essa sociedade, onde as pessoas dizem que acreditam em Deus com um copo de álcool em suas mãos, mas não entendem nem conhecem sua própria religião.

Uma sociedade na qual o conceito de ciúme é considerado vergonhoso e a modéstia é considerada uma desvantagem. Uma sociedade na qual o amor vai sendo deixado de lado, mas ainda assim todo mundo quer ter alguém a seu lado.

Um mundo onde as pessoas arrumam e enfeitam seu carro, não poupando dinheiro ou tempo, mas acabam sendo tão pobres, que somente um carro caro pode esconder isso.

Onde os jovens desperdiçam o dinheiro dos seus pais em casas noturnas, imitando sons primitivos pelos quais as meninas acabam se apaixonando por eles.

Onde faz muito tempo que não há diferença entre homens e mulheres e onde isso é chamado de liberdade de escolha... mas para aqueles que optam por um caminho diferente, cria-se um estigma e são chamados de déspotas atrasados.

Finalmente escolhi o meu caminho, mas lamento não ter encontrado compreensão naquelas pessoas que eu queria".

Keanu Reeves


sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Viva a sua vida.

    As pessoas hoje em dia adquiriram o poder de dizer se você está ou não vivendo a sua vida da forma em que ela tem que ser vivida, como se todos, menos você soubesse a fórmula secreta.
    Todos nós sabemos o que é melhor para nossas vidas, e quando não sabemos, arriscamos, e essa não deixa de ser a lei natural das coisas, quebrar a cara arriscando para descobrir como se procederá no futuro.
    Quando uma pessoa mais velha, mais vivida te lembrar que a vida é curta, lembre-a também, e diga que a vida ainda não acabou para você, e nem para ela. Não diga isso como forma de insulto e sim como forma amigável de alerta.
    O quê é viver a vida?
    Uma balada?
    Viagens?
    Festas?
    Shoppings, cinema?
    Um namoro, uma paixão?
    A vida já não é mais curta como era antes, há 60 anos atrás por exemplo, hoje vivemos até os 100, não todos, mas vivemos.
    E cada pessoa tem a opção de vive-la da forma que quer, incluindo opção sexual, religiosa, de localidade e de estilo.
    As pessoa definitivamente tem que aprender a conviver com a diferença do próximo.

terça-feira, 21 de junho de 2016

E ai galera, beleza?

 Fala galera, beleza?
 8K de views rapaz!
 (Oito mil visualizações no blog)
 Obrigado a todos vocês e obrigado pelos elogios no Hangouts que recebi sobre eu ser um bom escritor. Vou admitir, eu não acho meus textos bons, mas, eu publico pois eu gosto de guarda-los.
 Sei que um dia, lá na frente, vou ler e pensar: ''Puta que pariu, como eu escrevia mal", nessa época, só espero estar escrevendo bem, hahaha.
É isso ai gente, até o final de semana tem mais texto ai no blog!

@MarlSilveira
facebook.com/pwmarlon




domingo, 19 de junho de 2016

Apenas vá

   Nessa nova era de medos e inseguranças, as pessoas jogam a todo o momento.
   É rapaz que quer chegar na mocinha e manda um bom dia pelo whatsapp com uma resposta imediada da donzela, e ele deixa de revolucionar a conversa nos próximos dois dias só para dizer que aquilo não é algo que ele queira tanto, tentando despertar interesse na moça, de pondo como uma peça difícil na jogada.
  Cantadas premediatas estudadas e elaboradas em papel, para parecer-se impecável e descolado na hora de conquistar a donzela.
  Sites, desvendando mistérios de: "como pegar uma mulher em 5 passos".
 As pessoas estão rotuladas, entituladas, manuseadas a fazer coisas já enlatadas e automáticas, deixando de lado todo o prazer que é tentar, sem saber como fazer algo.
   Deixando para trás o prazer e o desprazer de tentar fazer algo que dê errado e  ainda assim insistir e persistir e se conseguir, pensar: "Ual, como foi extremamente louco".
  Os grandes românces, as grandes causas, as grandes coisas não nascem de episódios estudados, bolados, e sim, de episódios narrados pelo tempo, clima, ambiente.
   Deixe o papel de lado, deixe os pensamentos de lado, só vai, confia e vai.
   Não deixe-se moldar por cantadas absoletas, vulgares e fúteis.
   Não deixe seu destino mostrar para ti mesmo que tu és previamente escrito, escreva no momento, com medos, suores, gagueiras e tudo o que o nervosismo do ato, do momento, pode te causar.
   Apenas vá.



quinta-feira, 9 de junho de 2016

Desesperado, exagerado e abrupto!

No caminho que trilei até aqui, vi minha esperança morrer e logo após renascer, vi os sorrisos das pessoas, os falsos e os verdadeiros. Aqueles sorrisos sinceros que de tão bom me fazia sorrir junto e eu ao menos sabia o por quê de estar rindo, apenas sorria.
  Vi lágrimas de desespero escorrer do meu rosto, e quanto mais longe elas iam, mais fundo eu ficava, tão fundo, tão longe, onde eu nem sabia onde estava, me faltava ar, o sufoco era de tamanho, ao ponto de eu pedir ajuda à desconhecidos.
  Mas, o desespero sempre ia embora, e eu vivia como se nunca houvesse conhecido a escuridão, mas, como os dias nem sempre são de chuva, também nem sempre são de sol. E logo em seguida eu me via numa fria, numa banheira regada a água, gelo, escuridão e desespero e de tanto me ver em banheiras frias, nu, sem proteção, acabei entendendo que aquele momento também seria passageiro.
  Então fiz amizade com o tempo, pedi pra ele entrar e se sentar, não ofereci café e expliquei que estava sem açúcar e que nem me lembrava da última vez que o fizera.
   O tempo entrou e se sentou, fiquei perturbado com a paciência, a cada texto que eu mencionava, ele respondia vagarosamente como se iria viver para sempre e as respostas eram curtas.
  Mandei-o embora, não havia paciência dentro de mim para tanta paciência.
  E então surtei no desespero de querer tudo rapidamente, novamente e novamente.
  Até que, também cansei de ser exasperado e com o sr. Tempo, aprendi a esperar, respirar, sentar e analisar.
  Dou essa dica a você também.
  Faça amizade com o tempo.
  Seja inimigo do desespero, do exaspero do abrupto.



Um novo dia

  Então, de repente, floresce, aparece e encanta, o sorriso vem ao rosto e o olhar brilha, o que era cinza se torna azul, o que era preto fica branco e a escuridão perde para a luz que toma conta de cada detalhe em sua volta, em sua vida, por um minuto? Por algumas horas? Não sei. O importante é que ela existe e existirá por mais algum tempo, tempo esse que tem que ser aproveitado e administrado com exímia certeza  de que os dias claros não são para sempre!
  Sim, você tem de saber que os dias claros não são para sempre, para poder, desde já, se preparar para os dias escuros, sabendo assim que, outrora virão outros dias que lhe darão vontade de sorrir novamente.